A Polícia Civil prendeu, na noite de quinta-feira (14), Ronaldo Adriano Pereira, o “Buiu”, um dos comparsas de Kelves Gonçalves da Silva, o “Kelvinho”, acusado de participar do sequestro da empresária Milene Falcão Eubank, em Cuiabá.

Com dois mandados de prisão em aberto e três condenações criminais, Buiu é considerado um bandido de alta periculosidade. A sua prisão ocorreu durante buscas por Kelvinho.

Segundo o delegado Marcelo Torhacs, os policiais checavam denúncias e informações sobre paradeiro dos foragidos do sequestro – Kelves da Silva e Aeke Ruan -Pereira -. quando localizaram o criminoso.

Conforme a Polícia, os dois são corresponsáveis pelos gravíssimos crimes de extorsão mediante sequestro e homicídio qualificado tentado.

Questionado sobre a sua ligação com os dois foragidos, Ronaldo Pereira admitiu que foi procurado por Kelves – logo depois do sequestro da empresária Milene Eubank -, que lhe solicitou abrigo e um veículo.

Ele disse aos policiais que Kelves estava com uma uma pistola e várias munições.

“Ele disse que, após os primeiros dias, perdeu o contato com Kelves, mas afirmou que estaria em casa de familiares”, disse o delegado.

Com a prisão de Ronaldo “Buiu”, já são 14 as pessoas presas, que, segundo a Polícia Civil, tiveram participação efetiva, algum envolvimento ou contato com os foragidos Aeke Ruan e Kelves da Silval, suspeito de atirar contra o investigador Sidney Ribeiro dos Santos, da Polícia Civil.

Ficha criminal

De acordo com a Polícia Civil, Ronaldo Pereira tem seis registros de antecedentes policiais, dos quais foi condenado em três desses processos.

Ele ainda tinha dois mandados de prisão em aberto, um pela Comarca de Rondonópolis e outro pela Comarca de Tapurah.

Ele era procurado pela Justiça há meses, havendo informações de que, nesse período, envolveu-se em crimes patrimoniais e de tráfico de drogas.

“A Polícia Judiciária Civil continuará com as buscas pelos foragidos, por tempo indeterminado, até suas efetivas localizações e prisões”, afirmou o delegado Torhacs.

Informações sobre o paradeiro de Kelves poderão ser comunicadas pelo telefone “197”. O sigilo do denunciante será mantido.