A primeira estimativa para a safra 2017/18 de milho, divulgada nesta segunda-feira pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), apresentou um panorama revisado em relação ao que foi visto na safra 2016/17, trazendo expectativa de redução na área destinada ao cereal e na produtividade média do Estado, impactando diretamente na perspectiva da produção do milho mato-grossense.

Segundo o instituto, os baixos preços da safra 2016/17 pagos ao produtor mato-grossense não “animam” a destinação de áreas para o cultivo do cereal na segunda safra do Estado. Conforme os analistas, o baixo volume pluviométrico registrado nos últimos meses e os atrasos na semeadura da soja também estão gerando preocupações em relação aos impactos que podem ocasionar na janela ideal da semeadura do milho.

Diante de tal cenário, o Imea aponta que a previsão é uma redução na área destinada ao cereal em 10,34%, totalizando 4,25 milhões de hectares de milho sejam semeados no Estado. O Imea ainda cita outra variável. “O custo alto de produção e o baixo preço do cereal também está pesando no bolso do produtor mato-grossense, que pode reduzir os investimentos em tecnologia na nova safra nesse momento de incertezas climáticas”.

Com isso, o instituto acredita que a produtividade das lavouras mato-grossenses pode apresentar recuo de 9,37% frente a safra anterior, ficando estimada em 97,06 sc/ha. Caso as estimativas se confirmem, é aguardado que a produtividade da região Médio-Norte, maior produtora de grãos do Estado, fique em 99 sc/ha, exibindo recuo de 9,17% em relação à safra 2016/17.

Região com menor atraso na semeadura da soja, até o momento, é esperado que a Oeste apresente a maior produtividade média do Estado, de 103 sc/ha, ainda assim, com redução de 9,65% frente a safra anterior. Já a Sudeste pode apresentar o maior recuo produtivo do Estado, com 12,60%, com uma média de 95 sc/ha (é a região com maior atraso na semeadura da soja até agora).

Segundo o Imea, com a redução nas estimativas de área cultivada e produtividade no Estado, a primeira estimativa para a produção mato-grossense de milho na safra 2017/18 fica aguardada em 24,74 milhões de toneladas, sendo prevista uma redução de 18,75% em relação à safra anterior.