Mais dois homens foram presos, na tarde desta quarta-feira (25.10), pelo roubo a uma residência e de Cartório do 1º Ofício no município de São José do Rio Claro (315 quilômetros a Médio-Norte de Cuiabá).

O primeiro suspeito de participação, que não teve o nome divulgado, já havia sido detido na antevéspera desta ocorrência (23.10), no bairro rio-clarense Santa Terezinha.

Paulo Cezar Alves do Nascimento (23) e Luismar Anjos Nogueira (32), foram localizados em uma residência na rua 7 do bairro Costa Verde, em Várzea Grande. O rastreador do celular de uma das vítimas indicou o paradeiro dos criminosos.

De acordo com a Polícia Militar (PM), a guarnição foi até o endereço rastreado e encontrou Paulo Cezar saindo da residência com uma mochila. Entretanto, quando o suspeito avistou os militares, correu para dentro da casa, mas foi impedido a equipe conseguiu o abordar, encontrando celulares diversos na mochila, bem como relógios e correntes nos bolsos.

Luismar também tentou fugir, armado com uma pistola calibre 32 municiada na cintura, mas também foi encurralado. Houve a ordem dos policiais para que o mesmo largasse a arma e se deitasse no chão. Na sacola que transportava foram encontrados nove tabletes de maconha, três emulsões de explosivos e, a exemplo do comparsa, joias nos bolsos, entre as quais oito pares de brincos, quatro alianças douradas, corrente e pingentes.

Ao vistoriarem a residência, recém alugada pelos meliantes, foi encontrada uma balança de precisão e duas placas de veículos (NTX – 5907 e um CRLV de um veículo NPL – 1748), uma com documento em que constava ser de um veículo Fiat Uno com recente queixa de roubo. Um talão de cheque em nome da empresa Matanegra Agropastoril e Participações Ltda, carteira, cartão da Caixa, R$150,00, duas algemas e arma de fogo também estavam em poder dos criminosos.

 A dupla foi presa, conduzida à Central de Flagrantes e poderão responder por tráfico de drogas, posse, detenção, fabricação ou emprego ilegal de artefato explosivo ou incendiário, além de receptação.

O delegado da Polícia Judiciária Civil (PJC-MT), Nilson Farias, destacou a parceria de sua equipe de investigação com a PM rio-clarense e a Força Tática de VG, assim como o empenho coletivo da segurança pública do Estado.

“A ação demonstra que as investigações na cidade de São José do Rio Claro estão a todo vapor e aqui não tem espaço para criminosos, pois a polícia é muito atuante. Até no fim lutando para defender nossa cidade”, concluiu o delegado.