Com o cerco se fechando contra os membros do PSB, as movimentações para a eleição do próximo ano começam a ganhar novos contornos que podem fortalecer algumas siglas como o Democratas. A legenda é a mais cotada entre os dissidentes socialistas como refúgio após o retorno do deputado federal Valtenir Pereira ao comando do PSB.

Em uma conversa da qual teriam participado o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho ficou consignado que o mesmo e mais dois deputados estaduais, além de dois federais, provavelmente Fábio Garcia e Adilton Sachetti deverão ingressar nas fileiras do DEM.

A questão pendente seria o futuro de Jayme Campos, que é visto como forte candidato majoritário, tanto para o Governo do Estado como para uma das duas vagas para o Senado da República.

O DEM tem sido cauteloso em suas decisões, ou em assumir candidaturas majoritárias, por não saber se o atual governador Pedro Taques (PSDB) de quem é aliado vai ou não disputar a reeleição. Mais do que nunca Jayme Campos tem se posicionado a favor do governador Pedro Taques que tem enfrentado crises políticas, econômicas e administrativas em sua gestão, o que coloca em dúvida qual será a opção a ser feita pelo atual ocupante do Palácio Paiaguás.

“Hoje nós estamos na base do governador Pedro Taques e continuaremos. Ainda é cedo para falar de eleições, mas posso dizer que já estamos fechados com vários nomes do PSB que querem vir para o nosso partido para somar. E tem espaço para todos buscarem o melhor dentro da legenda”, disse Jayme.

O fato de Jayme não disputar uma vaga a majoritária traria novos rumos ao grupo, que seria buscar uma vaga ao Senado que poderia ser disputada por Botelho ou pelo deputado federal, Jayme Campos é uma opção considerada forte para a disputa majoritária, mas o DEM terá mais nomes como Adilton Sachetti.