O Ministério do Turismo (MTur) divulgou na tarde desta quinta-feira (14) o novo mapa do turismo brasileiro. Esse é um instrumento que destaca os locais que adotam o turismo como estratégia de desenvolvimento e norteia a definição de políticas públicas para o setor.

O número de regiões turísticas e municípios cadastrados cresceu exponencialmente em relação ao ano passado. Em 2016, eram 2.175 cidades em 291 regiões, este ano o mapa registra 3.285 municípios em 328 regiões turísticas.

Mato Grosso inseriu 17 municípios no documento, passando de 77 para 94 cidades com vocação turística, distribuídas em 16 regiões, duas a mais que no mapa anterior – a Região Turística Vale do Arinos e Vale do Araguaia. O relatório demonstra que São José do Rio Claro figura entre os destaques no Circuito das Águas, na categoria D, cujo destino ainda não seja expressivo, mas apresenta potencial de investimentos.

Segundo o ministro do turismo, Marx Beltrão, o crescimento dos números é resultado de um amplo trabalho de conscientização junto aos gestores municipais e estaduais a respeito da necessidade de identificação e classificação das cidades para que as políticas públicas e investimentos sejam mais adequados à realidade de cada região.

“O mapa é um instrumento muito importante para gestão, estruturação e promoção dos destinos. Por isso, é importante que ele esteja sempre atualizado, garantindo com que os municípios que queiram trabalhar o turismo como uma atividade econômica, tenham prioridade dentro das políticas e ações do MTur”, afirmou.

A atualização periódica do Mapa faz parte de uma estratégia do Plano Brasil + Turismo, lançada este ano para fortalecer o setor de viagens no país. De acordo com o Plano, a partir de 2017 o Mapa passa a ser atualizado a cada dois anos. Sua construção é feita em conjunto com os interlocutores estaduais que representam o MTur e órgãos oficiais de Turismo dos estados brasileiros e instâncias de governança regional.

CATEGORIZAÇÃO DOS MUNICÍPIOS

De acordo com o novo mapa, 25 municípios oferecem melhor infraestrutura aos turistas. Eles estão nas categorias A, B e C e são aqueles que concentram o fluxo de turistas domésticos e internacionais. Como exemplo, temos destinos como Cuiabá, Poconé, Sorriso, Chapada dos Guimarães, Alta Floresta, Barra do Garças, Rondonópolis, Sinop, Várzea Grande e Cáceres.

Os demais 69 municípios turísticos mato-grossenses figuram nas categorias D e E. Esses destinos não possuem fluxo turístico nacional e internacional expressivo, no entanto alguns possuem papel importante no fluxo turístico regional e precisam de apoio para a geração e formalização de empregos e estabelecimentos de hospedagem.

Acesse o link e confira os municípios que fazem parte do Mapa do Turismo do Mato Grosso.