Foi divulgado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) na última semana o custo de produção do milho de alta tecnologia no Estado para a safra 2017/18. O principal movimento deste custo, segundo o relatório, foi a redução das despesas de custeio da lavoura, de gastos com sementes, fertilizantes e defensivos, estimado em R$ 1.196,44/ha neste mês, com queda de 0,7% e totalizando uma baixa de R$ 8,15/ha.

Conforme o instituto, tal variação influiu diretamente no custo total, de R$ 2.551,87/ha em agosto, reduzido em 0,4%, ou o equivalente a R$ 10,78/ha. “Alguns dos fatores que pautaram a queda são: o dólar em baixa, reduzindo as cotações de fertilizantes e a incerteza climática sobre a próxima safra, também pressionando a procura”.

Para o Imea, este custo, mesmo menor que o da safra 16/17, segue elevado e a expectativa de preços baixos “reforça aos produtores a prioridade em observar os melhores momentos no mercado para travar vendas e fixar custos para a safra 2017/18”.