Membros de uma organização criminosa responsável por 65% dos roubos no comércio e em residências da cidade de Várzea Grande foram alvos da operação “Coligados”, deflagrada na manhã desta quinta-feira (14.09), pela Polícia Judiciária Civil para cumprimento de 22 mandados de prisão preventiva. Um dos mandados de prisão será cumprido no Estado do Acre.

A investigação comandada pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF) de Várzea Grande também efetuou 17 buscas e apreensão em residências do grupo criminoso, que mantinha até uma loja de produtos falsificados de marcas conhecidas no mercado para lavagem do dinheiro roubado.

Dos 22 suspeitos investigados, 20 já tiveram os mandados de prisão cumpridos em bairros de Várzea Grande, sendo que três receberão as notificações dos mandados de dentro de presídios.

Nas investigações, iniciadas em maio de 2017, a Polícia Civil identificou que boa parte dos membros da organização, mesmo jovens, são criminosos com condenações por roubos, homicídios, tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. Com um dos suspeitos, preso recentemente, foi encontrada a pistola roubada de uma policial.

“Após quatro meses de investigação coligindo todo o material probatório que comprova se tratar de uma genuína associação criminosa. A Delegacia representou pelas prisões e buscas, tendo o Ministério Público manifestado favoravelmente, tendo sido decretados 22 mandados de prisões preventivas e 17 mandados de buscas e apreensões domiciliares”, explicou a delegada titular da Derf, Elaine Fernandes Silva.

Um dos pontos que chamou atenção na investigação é o vídeo de um happy cantado por um dos integrantes da organização, que faz apologia ao crime, calúnias e injúrias as forças policiais. O sucesso dos roubos era comemorados com festas regadas a churrascos, bebidas e drogas.

Nos roubos, os criminosos armados empregavam violência e arma de fogo para subtração de dinheiro, joias, armas, aparelhos eletrônicos, celulares, veículos e outros bens de valor.