Durante o último mês de julho, o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) realizou o segundo levantamento das intenções de confinamento no Estado para 2017. Os números levantados apontam para uma redução de 8% na quantidade de bovinos confinados em 2017 na comparação com os valores obtidos em abril deste ano

A expectativa agora é que sejam “fechados” nos cochos mato-grossenses 645,73 mil animais. Em abril, havia uma intenção de confinar 701 mil animais. Em números absolutos, foram confinados 615 mil bovinos no ano passado. Ou seja, apesar da queda na intenção de confinamento entre abril e julho, ainda há aumento, caso a estimativa do último mês se mantenha, no comparativo entre a previsão deste ano e os números obtidos em 2016 (elevação de 4,8%).

Para o instituto, ainda que os gastos com alimentação e reposição tenham reduzido sensivelmente neste ano, a queda no preço do boi gordo nos últimos meses foi a principal justificativa dada pelos confinadores para reduzirem a quantidade de bovinos confinados. “Ainda que a cotação do boi gordo tenha caído até o mês de julho, já há sinais de recuperação no preço (valorização do preço físico e futuro), e com isso alguns confinadores já começam a se atentar para poder fazer um segundo giro mais “cheio” e mais rentável que o primeiro giro”, analisam os especialistas.