Balões tecnológicos capazes de monitorar grandes concentrações de pessoas com imagens em alta qualidade. Bicicletas feitas a partir de plástico reciclado e que suportam o peso de uma empilhadeira sem quebrar. Esses são apenas dois exemplos entre uma série de inovações tecnológicas desenvolvidas inteiramente no Brasil e que já são realidade em termos comerciais.

Juan Carlos Muzzi é um desses empresários. Nascido no Uruguai, construiu a vida em São Paulo desde os anos 1970, quando tinha pouco mais de 20 anos. Artista plástico e inventor, é a mente por trás da bicicleta de plástico, que tem o quadro, sua principal estrutura, feita com materiais reciclados.

Foi mais de uma década de pesquisas e testes antes de a bicicleta ter sido lançada oficialmente. Passando por diferentes etapas de desenvolvimento, inicialmente o grande desafio era construir uma bicicleta de plástico que ao mesmo tempo não tremesse na hora de pedalar, garantindo a estabilidade. Em seguida, foi preciso garantir a durabilidade do produto, e foi aí que ele descobriu que a construção feita apenas com garrafas PET não garantia essa longevidade, e que então era preciso incluir outros materiais plásticos.

Depois, foi preciso vencer a desconfiança de que o material não era seguro o suficiente. Foi quando, em 2009, Muzzi atirou o quadro da bicicleta do alto de um telhado para testar a resistência do material. O teste foi um sucesso, mas ele não se deu por satisfeito e fez com que uma empilhadeira passasse por cima da bicicleta duas vezes. Aprovado mais uma vez, o esforço finalmente tem sido recompensador. Milhares de unidades foram vendidas, patentes criadas em diferentes países ao redor do mundo e outros milhares de materiais plásticos foram reciclados.

A sustentabilidade é um dos grandes temas da inovação. Por isso, conheça abaixo 10 inovações tecnológicas totalmente desenvolvidas no Brasil e que já são comercializadas em diferentes regiões.

Todos esses produtos fazem parte do programa de aceleração Braskem Labs, feito em parceria com a ACE, e que tem como objetivo buscar soluções inovadoras para melhorar a vida das pessoas por meio da química e do plástico. Para conhecer mais sobre o Braskem Labs, clique aqui.

ALTAVE

Uma indústria aeroespacial totalmente brasileira, formada por engenheiros formados pelo ITA. A ALTAVE é uma empresa especializada na produção de balões tecnológicos nas áreas de defesa e segurança, segurança pública, monitoramento ambiental, agronegócio e construção e mineração. A companhia consegue, por exemplo, monitorar grandes eventos e entregar à polícia imagens em alta resolução em locais com milhares de pessoas ao mesmo tempo. A tecnologia ganhou grande repercussão no cenário nacional em 2016, quando foi utilizada nos Jogos Olímpicos para fazer o monitoramento constantes de grandes áreas de movimentação.

Biomassa do Brasil

Abrir, aplicar e construir. Esse é o mote por trás de um dos principais produtos da Biomassa do Brasil, prometendo levar o setor de construção a outro patamar de eficiência. A argamassa usada para juntar blocos de tijolo vem pronta para uso direto da embalagem, permitindo unir dois blocos de modo instantâneo. A praticidade fez com que esse fosse o material escolhido para as arenas do Parque Olímpico 2016, no Rio de Janeiro. Foram usadas 37 toneladas do material, gerando economia de 125 mil litros de água, 925 toneladas de argamassa e 67,5 toneladas de cimento.

BR Goods

Especializada no segmento da saúde, a BR Goods se tornou referência na fabricação de cortinas divisórias de leito hospitalar. O diferencial da companhia é utilizar a nanotecnologia para comercializar produtos que permitem a retardação das chamas e que contam com antimicrobianos, diminuindo os riscos de infecção, além de facilitar o processo de limpeza. . Um dos primeiros e principais clientes é o Hospital Albert Einstein, mas a empresa também produziu milhares de cortinas para as Olimpíadas no Rio de Janeiro.

Denguetech

Todos os anos, o Brasil tem centenas de milhares de casos de dengue, zika ou chikunguya. Para ajudar a combater esse fenômeno, a Denguetech desenvolveu um produto capaz de eliminar totalmente as larvas dos mosquitos vetores dessas doenças em até 24 horas, sendo que o efeito continua por pelo menos 60 dias. O inseticida funciona por meio de tabletes posicionados na água. Logo que entra em contato com o ambiente líquido, o tablete se dissolve e são liberados microrganismos e proteínas que combatem as larvas.

Fix It

Quebrar um braço é sempre uma experiência muito desconfortável. Não somente pela lesão em si, mas também por conta da imobilização ao longo das semanas seguintes, e é nessa etapa que a Fix It entra. A empresa criou imobilizadores plásticos que se moldam totalmente à anatomia do paciente. A imobilização é feita na hora do diagnóstico, por meio de uma impressora 3D. Felipe Neves, co-fundador da Fix It, explica que a ideia é promover uma experiência mais confortável para os pacientes, que podem tomar banho e fazer raio X com o imobilizador. Seu design também evita o mau-cheiro e coceira no braço e pode ser 100% reciclado após o uso. . O empresário está em busca de parcerias comerciais e networking para desenvolver ainda mais o negócio e agregar valor ao produto.

Muzzicycles

A primeira bicicleta do mundo feita com plástico reciclado. Com garantia vitalícia, ela não enferruja e é ecologicamente sustentável. Essa é a ideia por trás da Muzzicycles, startup que já vendeu mais de 10 mil unidades até o momento. E, se você duvida da durabilidade da bicicleta, saiba que a empresa atropelou a própria bicicleta com uma empilhadeira pesando 3,5 toneladas, e o produto saiu intacto – tudo gravado em vídeo. A empresa tem capacidade para transformar mais de 15 mil toneladas de materiais plásticos em 132 mil quadros de bicicletas, com patente registrada em 140 países.

Nanomix

Solução 100% nacional com atuação no ramo da nanotecnologia. A Nanomix é especializada em proteger embalagens e produtos contra a umidade, como as cartelas de remédios com diversas cápsulas. A vantagem da empresa é que seus produtos são mais econômicos e recicláveis se comparados às embalagens que utilizam alumínio ou PVDC. Bruno Ghizoni, dono da empresa, diz que a ideia agora é buscar mentoria no Braskem Labs, compreender em mais detalhes a precificação do produto e ampliar o networking.

Okena

“Tratamos o que a indústria gera”, explica Francisco Teixeira de Goeye, sócio da Okena, empresa que já conta com uma carteira de aproximadamente 200 clientes. Entusiasta da economia circular, em que a ideia é que nada se perde no processo de produção, tudo é reaproveitado, a Okena coleta, transporta, armazena, trata e destina uma série de resíduos gerados pela indústria. Colhendo os frutos do networking, a companhia ainda está desenvolvendo um projeto em parceria com a WiseWaste, uma das empresas aceleradas no programa Braskem Labs no ano passado, para aprimorar o produto.

Recicletool

Tendo como inspiração produtos semelhantes na Alemanha, a pernambucana Recicletool é uma solução de logística reversa para que as empresas estimulem a reciclagem em seus ambientes. O produto é uma cabine em que o usuário insere o produto que deseja descartar e recebe de modo online um crédito financeiro. “Escolhemos esse modelo para que as pessoas saibam o quanto estavam jogando fora”, explica Thiago Dantas, sócio da Recicletool. A cabine identifica produtos, tipos de usuários e constrói séries históricas, gerando inteligência de mercado para as empresas. Todo o material coletado é destinado a cooperativas de catadores. Um dos clientes da empresa é o metrô do Recife, onde o projeto prevê a instalação de 30 cabines na rede, que produz 3,3 toneladas de lixo por semana.

Vasos Raiz

Os vasos no modo como conhecemos foram modernizados. A Vasos Raiz criou um produto trazendo raízes artificiais, para que o vaso se torne autoirrigável e umidifique a planta por muito mais tempo, além de proteger o ambiente contra o mosquito responsável pela transmissão da dengue. Guilherme Utz, fundador da companhia, conta que o grande salto nos negócios veio com o lançamento da linha gourmet, quando as vendas cresceram 200%. Produzindo mil vasos por dia, a empresa também tem a linha kids e uma seleção de mais de uma dezena de cores, o que também permite trabalhar a questão do design. “O nosso propósito é reconectar as pessoas com as coisas naturais, cada vez mais difícil nos grandes centros”, resume Utz.