Uma mulher de 28 anos foi presa na tarde do último sábado (3) após realizar um aborto clandestino e chamar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Ela estava com o namorado, que lhe trouxe comprimidos de ‘Citotec’. Após tomá-los, ela abortou o feto e passou muito mal.

O SAMU prestou socorro à mulher e a encaminhou ao Hospital Santa Helena, no bairro Santa Helena. Ali, os conselheiros tutelares chamaram a polícia para denunciar o caso de aborto. A mulher contou que estava entre o 6º e o 7º mês de gravidez, e deu apenas o primeiro nome do namorado, que está foragido.

De acordo com informações do Boletim de Ocorrência, os conselheiros pediram que uma viatura os acompanhasse até a casa da suspeita, no bairro Pedra 90, para procurar o feto. Na casa, eles encontraram uma prima da suspeita, de 16 anos, que tinha a chave da porta.

A residência estava muito suja de sangue, e os conselheiros encontraram uma tesoura, também suja, que provavelmente foi usada para cortar o cordão umbilical. O feto, no entanto, não foi encontrado.

Os conselheiros seguiram para a Central de Flagrantes para registrar Boletim de Ocorrência, porém, foram informados que teriam que entrar em contato com a guarnição que os atendeu, e que eles deveriam fazer o BO.

Diante disso, os dois retornaram ao Hospital e ligaram novamente para o 190. A PM ligou para o batalhão do Pedra 90, que tinha atendido a ocorrência, para que eles registrassem o BO. Os policiais, no entanto, se recusaram, dizendo que, como a mulher estava internada no Hospital Santa Helena, em outro bairro, não seria da competência deles. Por fim, o BO foi registrado pelo 10º Batalhão.

A mulher continua internada em estado grave, e uma guarnição da Polícia Militar também está no local. Ela se recusou a dizer o nome completo de seu namorado e onde ele poderia estar, e disse ainda que não sabe se ele jogou o feto no poço do quintal, no quintal ou no terreno ao lado.