Já o comparsa, Wankley Borges Mattei, de 18 anos, nega o crime

Dois suspeitos pelo assassinato do professor Valdir Alves de Andrade, esfaqueado em sua casa na madrugada de sexta-feira (16), foram presos pela Polícia Civil neste fim de semana, em Tangará da Serra.

Um deles é menor de idade e confessou que se relacionava com a vítima, o que possibilitava livre acesso ao local e conhecimento sobre os objetos da casa. Em depoimento ele também apontou a identidade de seu comparsa, Wankley Borges Mattei, de 18 anos.

De acordo com o site Tangará em Foco, os investigadores chegaram ao menor logo após a comunicação do crime. O delegado responsável pelo caso João Romano contou que ele foi evasivo no início, no entanto, diante dos fortes indícios acabou confessando. Já Wankley nega a autoria do crime, mas confirma que esteve no local e que dirigiu o veículo do professor, um dos itens roubados na ação. Os acusados seriam usuários de drogas.

Diante da resistência de Valdir, o adolescente, que apresenta ferimentos nas duas mãos, não teria conseguido executá-lo sozinho. Indício que aponta, segundo o delegado, para a participação do outro envolvido. Ele também afirma que o corpo foi encontrado com marcas de golpe de faca no pescoço e na região entre o tórax e abdômen.

O carro da vítima foi localizado na região do Centro de Educação de Jovens e Adultos, Ceja Antônio Casagrande, próximo a casa do adolescente. Deste modo, João Romano pediu a prisão em flagrante do maior como forma preventiva e a apreensão do menor. Os dois possuem diversas passagens pela Polícia.