Os médicos do corpo clínico do hospital decidiram suspender os atendimentos, procedimentos ambulatoriais e as cirurgias eletivas a partir de hoje. Também fecharam os leitos da Unidade de Terapia Intensiva adulta e neonatal, enfermarias para novas internações. Apenas os atendimentos de emergência e urgência serão mantidos mediante a disponibilidade de insumos e medicações.

A decisão partiu após uma série de considerações feitas e um documento elaborado pelos médicos da unidade. De acordo com o ofício elaborado pelo diretor clínico do hospital, há o atraso de pagamento dos meses de fevereiro, março e abril para empresas médicas e fornecedores; superlotação da emergência ocorrida após a paralisação de outras unidades hospitalares do Estado; a proibição da contratação de novos servidores desde o período da intervenção resultou em um déficit de funcionários em todos os setores, mas principalmente na área de enfermagem e nutrição.

O documento também critica a precariedade da estrutura hospitalar (rede elétrica, central de material esterilizado, centro cirúrgico, maternidade); também lembra a falta de medicações e insumos hospitalares essenciais e a inércia da Secretaria de Estado de Saúde em resolver tais pendências.

Este documento foi encaminhado à promotoria cível de Sorriso, Conselho Regional de Medicina (CRM) e à direção do próprio hospital.

Só Notícias entrou em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Saúde que ficou de se posicionar sobre o caso.

Recentemente, o Hospital Regional de Sinop também anunciou que reduziria o atendimento por falta de repasses. O Hospital Regional de Colíder está em greve há mais de 20 dias devido ao não pagamento dos médicos.

Outro lado
Em nota encaminhada ao Só Notícias, a secretaria estadual de Saúde informa “que está fazendo todos os esforços para normalizar os repasses financeiros pendentes. Até o dia 8 de maio de 2017 o Hospital Regional de Sorriso recebeu o montante de R$ 9.747.820,86, entre repasses federal e estadual, sendo do Estado o montante de R$ 4.069.844,01 e da União o valor de R$ 2.535.894,52. Além do pagamento feito mediante bloqueio judicial no valor de R$ 3.142.082,33. Esse pagamento é relativo ao período de janeiro até fevereiro de 2017. O mês de março ainda não foi quitado e o repasse do mês de abril está aguardando a entrega da planilha de despesas do Hospital Regional para lançamento e posterior pagamento.

Com relação aos salários de profissionais celetistas (carteira assinada) e dos enfermeiros, esses foram pagos de janeiro até abril de 2017, estando parcialmente pendentes os salários dos médicos do mês de fevereiro. Quanto aos salários dos médicos do mês de março, assim, como as demais pendências, estão sendo programadas para serem pagas.

Ainda em relação ao Hospital Regional de Sorriso, a secretaria de Saúde esclarece que existe uma dívida do exercício de 2016, no valor de R$ 272.587,52. A SES aguarda recurso para quitar esse passivo”.