Com o objetivo de fazer uma sondagem para novos empreendimentos e oferecer aperfeiçoamento de tecnologias, uma comitiva de japoneses visitou o município. A equipe de especialistas faz parte da IHI Corporation, uma indústria multinacional que atua nas áreas de desenvolvimento espacial, motores para aviões, máquinas industriais, equipamentos para construção, construção de pontes e estruturas metálicas, sistemas de energia, softwares, entre outras atividades.

Yutaka Hongo, residente em Tóquio, trabalhou no Brasil como funcionário da JICA, a Agência de Cooperação Internacional do Japão, e contribuiu, há cerca de 20 anos, em Mato Grosso, para a implementação do Prodecer, o Programa Nipo-Brasileiro de Cooperação para o Desenvolvimento dos Cerrados.

“Conheci Lucas do Rio Verde há muitos anos e tive a grande surpresa de ver essa região tão desenvolvida em pouco tempo. Enxergamos o município como modelo e é de fundamental importância para nós conhecer os desafios e os problemas tecnológicos daqui. Temos atividades abrangentes e o interesse em oferecer aperfeiçoamento de tecnologias, bem como procurar possíveis áreas de operação no agronegócio, como projetos de irrigação com menos desperdício e monitoramento de áreas para garantir segurança aos produtores, por exemplo”.

De acordo com ele, a multinacional atua em diversas áreas com tecnologia de ponta, porém, ainda não tem trabalhos desenvolvidos na área da agricultura.

Outro assunto debatido pelo grupo foi o lixo e a geração de energia. O prefeito destacou a inovação do Japão em produzir energia através da queima de resíduos e também parabenizou pela cultura de educação e respeito pelo meio ambiente e preservação. “Percebemos que estamos no caminho certo quando falamos em separação do lixo e coleta seletiva. Mas queremos evoluir e, além de dar destinação correta aos resíduos, ver o que é possível fazer para sermos ainda mais eficientes”, comentou Binotti.

Durante o encontro também foram abordados assuntos relativos à escoamento de safra e modais de transporte. O interesse da comitiva é pelo funcionamento de portos e abertura de novas saídas para as safras brasileiras.

Além de Tapurah, a comitiva passou por Lucas do Rio Verde e passa também por Sorriso e Sinop.