Na data de ontem, 20/03, os trabalhadores da educação de Tapurah MT, decidiram parar as atividades escolares parcialmente, pois as duas escolas dos distritos de Ana Terra e Eldorado resolveram trabalhar normalmente, enquanto as demais escolas da sede do município ao total de 5 estabelecimentos de ensino pararam totalmente as atividades de ensino, para protestar e debater a PEC 287/2016, a chamada reforma da previdência social. A partir das 17 horas demais servidores do município juntaram-se ao protesto.

Com o apoio dos sindicatos SINTEP e SINDTAP, os trabalhadores realizaram a manifestação na câmara de vereadores do município, contra a reforma do governo, alegando que na verdade a medida vai impossibilitar o acesso à aposentadoria. Já que haverá um grande prejuízo. A exemplo dos professores, que no regime atual, tem a garantia de aposentadoria especial, com regime de 25 anos para mulheres e 30 para homens. Com a reforma, tanto homens e mulheres terão que trabalhar 49 anos de contribuição, um grande prejuízo a categoria.

Segundo o professor Cleomar Campos, o prejuízo vai atingir todos trabalhadores do país e muitos ainda não tem noção dos malefícios desta PEC. Este ato representa o início da luta, pois vamos continuar o debate com a sociedade tapuraense, para lutar contra esse retrocesso trabalhista.

Durante o debate o prefeito Iraldo Ebertz, fez se presente e conversou com a categoria, afirmando que quer melhorar a educação de Tapurah, e para isso quer a ajuda dos trabalhadores da educação. É preciso melhorar o IDEB e fazer da educação referência em Mato Grosso. Disse o prefeito.

O prefeito também afirmou que as reivindicações feitas pela categoria, já estão sendo analisadas pelo o jurídico do executivo e está pronto a atender à demanda.

Participaram do debate o presidente do Legislativo, vereador Anilson Martins, vereador Odair Nunes e vereadora Daise de Souza.