Sem receber salários, 20 médicos “cruzam braços” e criticam gestão

111

Os médicos do Hospital São Lucas, em Lucas do Rio Verde, suspenderam as atividades de atendimento ao público, nesta quarta (22), devido à falta de repasse para o pagamento de salários que, segundo eles, estão atrasados desde 2016. Apenas 30% das atividades serão mantidas.

Conforme nota emitida e assinada por, pelo menos, 20 médicos, o problema está na administração do hospital. Uma notificação encaminhada à diretoria da unidade no último dia 10 já previa a paralisação, caso as exigências não fossem atendidas dentro do prazo de 10 dias.

De acordo com os médicos, não houve nenhuma negociação até esta terça (21), o que motivou a suspensão dos atendimentos ontem. Eles cobram uma melhor organização administrativa e operacional do hospital.

Ocorre que, na semana passada, vazou um áudio em que o presidente da Associação Médica Luverdense (Ameluv), Evandro Martins, declarava a existência de um acordo entre o prefeito Luiz Binotti (PSD) e o secretário municipal de Saúde, Jean Machado, no qual solicitava a demissão da diretora do Hospital São Lucas, Fernanda Dotto.

Em um documento assinado, na quinta passada (16), consta que existia uma parceria entre a Ameluv e o Executivo, em que o hospital oferecia gratuitamente cerca de 1,5 mil consultas médicas e, em troca, a administração da unidade ficaria com o Conselho. Binotti, por sua vez, negou a situação e disse que não compactua com esse tipo de negociata.

Outro lado

O entrou em contato com Fernanda Dotto, a responsável pela administração do hospital, para saber se a paralisação também está relacionada à exigência da Ameluv em demití-la do cargo, entretanto, as ligações não foram atendidas nem retornadas até a publicação desta matéria.

Repasses da prefeitura

Conforme o secretário municipal de Finanças, Mauro Chagas, a prefeitura tem realizado os repasses, contudo, não atua dentro da unidade. Chagas confirma ao  que um montante já foi repassado ao hospital. “R$ 700 mil dos R$ 1,8 milhão de recursos aprovados pela Câmara já foram repassados nesta semana, mais dois repasses de compra de serviços, um de R$ 143 mil e outro de R$ 183 mil”, ressalta.

O secretário explica que o valor de R$ 1,8 milhão foi dividido em quatro parcelas, tendo em vista que a primeira foi paga esse mês, as duas seguintes serão no valor de R$ 400 mil e a última prevista para junho, no montante de R$ 300 mil.