Produtores e empresários do ramo da pecuária que participaram no lançamento da edição 2017 da InterCorte, em Cuiabá, receberam duas notícias do Governo do Estado. Na cerimônia de abertura, realizada nesta quarta-feira, o governador Pedro Taques anunciou o repasse de aproximadamente R$ 900 mil para a estruturação do Instituto Mato-grossense da Carne (Imac). Taques também garantiu a edição de um decreto que estabelece o aumento da alíquota de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do boi em pé para 9%, a partir de julho de 2017, em substituição ao decreto anterior, nº 777/2016, que elevava para 12% a partir de abril deste ano.

Segundo o governador, se nesse período o Estado conseguir melhorar a arrecadação com as ações extrafiscais executadas pelo Imac, pelo Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT), pelas Secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Fazenda (Sefaz) e Meio Ambiente (Sema), o governo vai reavaliar o decreto. “Se conseguirmos isso com o trabalho em conjunto, poderemos manter os 7% em julho”, completou.

O secretário-adjunto de Agricultura Econômica da Sedec, Alexandre Possebon, explicou que são três os pilares que vão sustentar a arrecadação: a alíquota, o trabalho do Imac junto ao mercado e uma fiscalização forte para conter a saída de gado do estado sem nota.  “Para haver redução [da alíquota], é preciso aumentar a base de arrecadação”, disse o gestor.

No que compete ao Imac, as ações ganharão força com os recursos destinados pelo Estado essa semana. O montante de quase R$ 900 mil será utilizado para estruturar a entidade, com contratação de recursos humanos e execução do sistema desenvolvido especialmente para rastrear a carne mato-grossense.

Tal sistema é interligado com Indea, Sema, Sefaz e com os frigoríficos, permitindo o rastreamento da carne. Assim, destacou Possebon, “poderemos saber a procedência do produto e se atende os requisitos exigidos pelo Instituto para receber o selo. Hoje, o consumidor, cada vez mais, quer saber de onde vem o que ele está comendo e em que condições aquele produto foi processado. Os principais mercados do mundo querem saber de onde vem essa carne”.

Representando os produtores, a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) é uma das parceiras do Estado nesse processo. O presidente, Marco Túlio, lembra que o Imac contribui para a padronização da produção e, consequentemente, com a competitividade do produto mato-grossense. “Precisamos fazer com que o mercado enxergue que nossa carne é diferenciada e o Imac vem parametrizar, para comunicarmos ao mercado que nossa carne preenche todos os pré-requisitos”.

A expectativa é que em dois anos o processo de rastreamento e emissão de selos do Imac esteja funcionamento plenamente. Nessa fase inicial, o instituto trabalha em projetos pilotos com frigoríficos interessados na certificação da carne e que estão em processo de aquisição dos equipamentos necessários para integrar ao sistema.

Cuiabá sedia a primeira etapa da edição de 2017 da InterCorte até o dia 09 de março. Promovido pelo Terraviva Eventos, em conjunto com a Acrimat, o evento percorre de forma itinerante alguns dos principais polos de pecuária brasileiros para levar informação, discussão e tecnologia aos produtores. Além de Cuiabá, a edição de 2017 passará por Ji-Paraná (RO), Campo Grande (MS), Araguaína (TO) e São Paulo (SP).

Com o tema “Entender para Atender”, a programação será dividida em quatro blocos temáticos: Sustentabilidade, Cria, Intensificação e Carne. Trabalhos que já vêm sendo realizados com eficiência farão parte da programação, com o intuito de comprovar que o Brasil já faz uma pecuária de alto nível e que pode fazer ainda mais com a tecnificação dos produtores.

Pedro Taques defendeu a realização de eventos desse porte para o desenvolvimento de técnicas e tecnologias para aumentar a produção em Mato Grosso e destacou o papel do Governo do Estado, que atua nesse processo por meio do Indea e da Sedec. “Esse evento traz técnica, tecnologia, conhecimento para que possamos aumentar nossa produção sem desmatamento ilegal e com rastreamento do nosso produto. Queremos exportar carne e não boi e, para isso, criamos o Imac, para a autorregulação da cadeia”, acrescentou.

Além das palestras e debates, a InterCorte terá uma feira de negócios com a participação de empresas de referência na pecuária, que levam suas novidades tecnológicas ao produtor. A InterCorte Cuiabá está com um número recorde de empresas participantes da feira de todas as edições do evento.