MST Itanhanga invasãoA invasão se deu na manhã deste sábado (10). Após a chegada de algumas pessoas que foram se acomodando na área, os proprietários foram informados pelos próprios invasores de que deveriam tirar todas as coisas da propriedade, caso contrário, todos os bens seriam queimados. Além disso, os intrusos afirmaram que mais pessoas deveriam chegar ao local até o final da tarde.

Segundo informações da Policia Militar, já estão tentando tomar as devidas medida judiciais, onde segunda relatos o movimento já estão se precavendo judicialmente juntamente a advogados para inibir qualquer tentativa da polícia intervir no movimento. “Quem acha que o problema é de um e não de todo mundo, fiquem espertos, por que o problema pode bater bem ai no leu lote, então fiquem espertos”, destaca o áudio do movimento.

Líderes da comunidade dizem que não vão deixar ninguém entrar e tomar o que é deles. “Chega de vagabundo ganhar em nossas costas. Peço a quem realmente agosta de Itanhangá, pra se mobilizar e não deixar esse povo entrar, vamos nos mobilizar e lutar por nosso município, por que quem ta aqui realmente acredita em Itanhangá”, diz outro áudio atribuído a uma comerciante da cidade que conclama a proprietários de terras e comerciantes a intervirem na ação dos sem terras.

Na tentativa de inibir a ação dos intrusos, os proprietário se atearam fogo em pneus na entrada da propriedade para que ninguém adentre ao recinto.

Parceleiros e proprietários locais realizaram bloqueios parciais nas pista sentidos Tapurah e Juara, e já informaram que realizaram o bloqueio total da MT-338 no final da tarde deste mesmo dia, no intuito de inibir a entrada de novos membros adeptos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, eles hasteiam a bandeira da Reforma Agrária, junto a propriedade invadida.

Um morador do município relatou que a população de Itanhangá (aproximadamente 7 mil) se mostra muito indignada com a situação. O comércio estará fechando as portas antecipadamente para realização de manifestação contra o MST na tarde deste dia (10/12).

“Itanhangá se tornou município independente há 16 anos, mas as terras estão há mais de duas décadas nas mãos dos proprietários. O que esse povo [do MST] está fazendo é revoltante. Não podem roubar o que é nosso.” – externou um morador.

Os donos da terra invadida já entraram em contato com as autoridades locais e medidas deverão ser tomadas. Demais membros parceleiros já entraram em contato com Policias Civil e Militar.

Em Lucas do Rio Verde
Um morador de Lucas do Rio Verde também foi vítima de invasões neste ano de 2016. Após meses de brigas e disputa judicial o proprietário conseguiu retomar as terras e expulsar os invasores.

Mais informações a qualquer momento.