Tapurah: E. M. Vinícius de Moraes convida a todos para prestigiar a 7ª Feira do Livro

70

feira do livro TapurahA Escola Municipal Vinícius de Moraes convida a todos para prestigiar a 7ª Feira do Livro em Tapurah, com abertura nesta quinta-feira ás 19h e sexta-feira das 07 ás 17h. O evento é considerado uma referência na cidade por seu caráter democrático e pela consistência do trabalho que desenvolve na área da promoção da literatura e da formação de leitores. Realizada desde sua primeira edição na sede da Escola Municipal Vinícius de Moraes, localizada na Avenida Pernambuco, nº 522, Bairro São Cristóvão.

Desde sua primeira edição, a feira atrai centenas de alunos, ilustradores, voluntários contadores de histórias, entre outros colaboradores que participam do evento, nas mais diversas sessões, oficinas, palestras e programações artísticas, entre outras atividades.

ROMERO BRITTOA cada ano, o evento ilustra e homenageia personagem da literatura e artísticos do Brasil. Este ano, as ilustrações homenageia o ícone da cultura pop moderna, sendo um dos mais premiados artistas de nosso tempo. O artista pop mais jovem e bem-sucedido de sua geração, Romero Britto o qual tem criado obras-primas que invocam o espírito de esperança e transmitem uma sensação de aconchego. Este que nasceu no Recife, Pernambuco, em 6 de outubro de 1963, e aos 8 anos de idade começou a mostrar interesse e talento pelas artes. Com muita imaginação e criatividade, pintava em sucatas, papelão e jornal. Sua família o ajudava a desenvolver seu talento natural, dando-lhe livros de arte para estudar. “Eu ficava sentado e copiava Tolouse e outros mestres dos livros, por dias e dias.”

Como em todos os anos, serão expostos livros para todas as idades, classificadas em base: Generalidades, Filosofia, Religião, Ciências sociais, Línguas, Ciências puras, Artes, Jardinagem e paisagismo, Pintura, Artes gráficas, Música, Esportes, jogos e diversão, Literatura (Contos, Crônica, Romance e Poesia), LITERATURA BRASILEIRA, História, geografia, Biografias, entre outros. Com livros, revista e gibis que iniciaram seus preços em R$ 2,00.

Por que ler
Mesmo antes de aprender a ler, as crianças devem ser colocadas em contato com a literatura. Ao ver um adulto lendo, ao ouvir uma história contada por ele, ao observar as rimas (num poema ou numa música), os pequenos começam a se interessar pelo mundo das palavras. É o primeiro passo para se tornarem leitores literários – percurso que vai se estender até o fim do Ensino Fundamental.

Quem lê
Como a maioria das crianças de creche e pré-escola não é alfabetizada, a leitura deve ser feita pelo professor. Mas é essencial deixar que todos manipulem os exemplares. Incentive-os a folhear as páginas, observar as imagens e os textos e levar as obras para casa.

Como ler
Existem dois modelos básicos: o contato pessoal da criança com o livro, como foi explicado acima, e a roda de leitura, em que o professor lê para toda a turma. Nesse caso, é preciso sempre planejar a atividade, da escolha do texto às formas de interação. “A apresentação, a seleção e a preparação prévias, os motivos explicitados, a consideração do leitor, o incentivo aos comentários posteriores e o clima criado devem ser intencionais, e não obras do acaso”, explica Virgínia Gastaldi, formadora do Instituto Avisalá, em São Paulo, no texto Quem Conhece Pode Escolher Melhor. Da mesma forma, o momento da leitura exige postura adequada, entonação de voz e uso correto das ilustrações para ajudar a conduzir a narrativa. No fim, é muito importante coletar as impressões da garotada, o que pode ser feito com perguntas simples: de qual parte da história cada um mais gostou (e por quê), o que chamou mais a atenção em cada personagem, qual ponto provocou mais alegria (ou medo, preocupação etc.). Esse momento de pensar sobre o que foi lido e expressar opiniões é um comportamento típico de quem gosta de ler – e vale para toda a vida. E não se esqueça de que essas opiniões podem (e costumam) ser diferentes. Essa troca também é boa para estimular os pequenos a aprender a ouvir o que os outros têm a dizer.

prefeito cartilhas