Hackers aceitam desafios e propõem ideias inovadoras em 54 horas

30

hackaton 2106Programadores, designers e outros profissionais ligados ao desenvolvimento estão reunidos desde a última sexta-feira (04.11), para uma intensa jornada de 54 horas de programação que chega ao fim na noite deste domingo (06.11).

Trata-se do primeiro evento hackathon do Estado, idealizado pela comunidade de Desenvolvedores de Mato Grosso (DevMT) com o apoio do Executivo mato-grossense, por meio do Gabinete de Assuntos Estratégicos (GAE), da Secretaria de Planejamento (Seplan) e da Empresa Mato-Grossense de Tecnologia da Informação (MTI), unidade vinculada à pasta de planejamento.

O encontro hacker acontece no Goiabeiras Shopping e propõe aos participantes o desenvolvimento de soluções práticas para problemas comuns da população nas áreas da saúde, educação, segurança pública e comunicação com o Governo.

O desafio também propõem soluções tecnológicas e inovadoras para qualquer outra área que reforce a conexão entre o cidadão e a máquina pública. Vale destacar o mote dos idealizadores, adotado pelos participantes, “Hackeando o Governo. Conectando cidadão”. O grupo que apresentar a melhor proposta será anunciado e premiado ainda nesta noite.

De acordo com o secretário de Planejamento, Gustavo de Oliveira, desde o começo do governo Pedro Taques o apoio ao empreendedorismo e a inovação tem sido uma característica. “O GovHackMT é o primeiro evento voltado para hackear o Governo e faz parte de uma série de realizações e promoção de atividades que iniciaram no começo de 2015, as quais inseriram Mato Grosso no cenário nacional de inovação e do empreendedorismo”, disse.

Na avaliação do diretor-executivo da MTI, Evaristo Georgio Fava, o Governo dá mais um importante passo para atender as demandas da população. Segundo Fava, os desafios propostos pelas secretarias de Governo tratam de áreas prioritárias e temas relevantes para o Estado.

Acompanhe abaixo o painel de desafios apresentado pelo Governo de Mato Grosso:

– Plataforma de interação com alunos;

– Diário de Classe em tempo real;

– Sugestões externas (acompanhamento das solicitações).

– Base de dados (indisponibilidade de informação).

– Emergência interativa (prática do trote).

– Aplicativos para serviços públicos.