Funcionários dos Correios alegam FGTS atrasado e entram em greve

Cerca de 140 funcionários contratados e efetivos cruzaram os braços. Greve deve afetar serviços prestados em Cuiabá e Várzea Grande.

14

correiosFuncionários contratados e parte dos servidores efetivos dos Correios em Cuiabá e Várzea Grande entraram em greve, nesta semana, para cobrar o pagamento de vales refeição e transporte, além do recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), que estariam atrasados há dois meses.

Conforme o presidente do Sindicato dos Servidores dos Correios, Edmar Santos Leite, a greve dos funcionários contratados teve início na segunda-feira (21), quando 110 trabalhadores cruzaram os braços. Na ocasião, os salários de setembro e outubro também estariam atrasados. Porém, foram pagos na terça-feira (22).

Segundo o sindicato, o número de servidores terceirizados que estão em greve corresponde a 90% da categoria. Até quarta-feira (23), pelo menos 30 servidores efetivos também aderiram à paralisação.

Conforme a entidade, vários contratados foram demitidos, mas o acerto não foi pago e a situação de dispensa não foi regularizada até o momento. O ponto dos funcionários, porém, já foi cortado. Sobre o FGTS, o sindicato alega que os Correios estão descontando o fundo do salário dos funcionários, mas não estariam repassando o valor para a Caixa Econômica Federal.