Crédito rural facilita aquisição de tratores

A iniciativa visa atender o aumento da demanda por causa da projeção de supersafra na temporada 2016/2017

76
trator
Tratores médios desenvolvidos para grande produtividade e desempenho no campo, com economia de combustível. Agora contam também com uma opção para aumentar o conforto e o bem-estar dos operadores

Facilitar o acesso ao crédito rural é uma prioridade para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Diante disso, o órgão pretende anunciar, até o fim deste mês, mais R$ 2,5 bilhões para o Moderfrota – programa de aquisição de tratores, colheitadeiras, plataformas de corte, pulverizadores, plantadeiras, semeadoras e outros equipamentos agrícolas.

A iniciativa visa atender o aumento da demanda por causa da projeção de supersafra na temporada 2016/2017. A ação foi enfatizada pelo ministro interino Eumar Novacki nesta quinta-feira (17), ao participar de reunião na Federação da Agricultura do Estado de São Paulo (Faesp), para debater o Plano Agro+ e questões relacionadas à política agrícola.

“Queremos reduzir a burocracia e fazer com que o financiamento chegue ao produtor na hora certa. Ao analisarmos a execução do Plano Agrícola e Pecuário de anos anteriores, percebemos que, muitas vezes, havia disponibilidade de crédito, mas o produtor não conseguia acessá-lo. Queremos facilitar isso para estimular o crescimento da produção rural. Dessa forma, teremos condições de abrir novos mercados e gerar mais emprego e renda para o País”, destacou Eumar Novacki.

Compra de máquinas

O Plano Agrícola e Pecuário 2016/2017 destinou R$ 5,4 bilhões para a compra de máquinas e de equipamentos, mas o montante se mostrou insuficiente para atender a demanda do setor. Somente nos três primeiros meses do plano, os produtores já contraíram financiamentos que representam quase 60% do total destinado ao Moderfrota. Por isso, o Mapa quer reforçar o volume de recursos até o fim de novembro.

Para o presidente da Faesp, Fábio Meirelles, a reunião serviu para reforçar a intenção do governo federal de ser mais ágil na adoção de medidas para contemplar o setor. “Desejamos soluções imediatas e efetivas para a agropecuária”, ressaltou Meirelles, que entregou a Novacki documento com as principais reivindicações dos produtores paulistas.