Endemias comemora resultado da campanha Anti Rábica em Tapurah

76

vacinação anti rabicaO setor de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde de Tapurah, está comemorando os números positivos da Campanha de Vacinação Anti Rábica, ocorrida no município. Ao todo foi vacinado um total de 3.136 entre cães e gatos distribuídos em toda área urbana e rural do município, sendo percorrido 2.246 km durante todo período da campanha.

Com a campanha finalizada, a meta atingida foi registrado 2.509 cães e 627 gatos numeram crescente a meta esperada que fosse de 3.000 animais, sendo estes 2.500 cães e 500 gatos, conforme informou o chefe de Endemias Lorival.

“Mais uma vez o nosso trabalho foi intensificado e com isso tivemos um ótimo resultado. Ao todo foram 3.136 animais vacinados durante o período de vacinação, com a nossa meta batida. Isso nos trás uma segurança muito grande, já que a raiva ela pode ser transmitida para humanos, através do contato com a secreção salivar, por mordida, lambida ou arranhões dos mamíferos doentes”.

“Nosso objetivo é proteger os animaizinhos que nos trazem tantas alegrias e isso foi possível graças à adesão de todos. Eu sinto que os munícipes de Tapurah, abraçaram a campanha e isso é muito bom”. Justificou a reportagem.

Os criadores de animais que, por algum motivo, não conseguiram participar da vacinação, podem procurar o setor de Endemias.

Animais aptos a receberem a vacina

Os animais que podem receber a vacina são cães e gatos com idade igual ou superior a 90 dias de vida. Já os que forem vacinados contra raiva pela primeira vez podem receber a dose de reforço entre 21 a 30 dias após a primeira. Não há restrições para animais idosos, cadelas e gatas gestantes receberem a vacina.

A doença

A raiva é uma zoonose (doença que pode ser transmitida ao homem pelos animais), e que se caracteriza por uma encefalite (inflamações agudas do encéfalo, “cérebro”) progressiva aguda e letal. Todos os mamíferos são suscetíveis ao vírus da raiva e, portanto, podem transmiti-la.

A doença apresenta dois principais ciclos: urbano (relacionados aos cães e gatos) e silvestre (que engloba outros mamíferos como: macacos, raposas, cachorro do mato, guaxinim, morcegos, entre outros animais silvestres).

A transmissão da raiva se dá pela penetração do vírus rábico contido na saliva do animal infectado, principalmente pela mordedura e, mais raramente, pela arranhadura e lambedura de mucosas.

Sintomas

Os sintomas do animal raivoso são caracterizados pela agressividade, perda do apetite, baba frequente, permanência em locais isolados e escuros, cauda caída e cansaço, permanecendo sempre no chão.

Após a mordida de um animal com raiva, a vítima deve procurar imediatamente a Unidade de Saúde mais próxima de sua residência. É importante comunicar o fato ao Centro de Controle de Zoonoses, Vigilância Ambiental e Epidemiológica do seu município para uma possível observação do animal.