Redes sociais poderão interferir nas eleições em Tapurah

Facebook é a grande vitrine. O WhatsApp, o grande difusor de mensagens rápidas.

519

Oportunidades não faltam para se manter informado sobre os fatos políticos, seja pelo Facebook, pelo Twitter ou pelo Whatsapp, sim, em Tapurah a internet dá o tom nas eleições 2016.

Com o fim do financiamento por empresas e o Fundo Partidário sendo insuficiente, um dos canais que ganha maior destaque no processo eleitoral é a internet. O Facebook considerado “o rei” das redes sociais”, se torna a ferramenta mais utilizada pelos candidatos a prefeitos e vereadores, mas o Whatsapp não fica muito para trás, pois grupos criados proliferam informações a respeito dos candidatos A e B. Ao mesmo tempo em que o aplicativo pode auxiliar no contato entre candidatos e eleitores, também pode ser motivo de preocupação por sua alta capacidade de disseminar boatos e ataques pessoais.  Uma mensagem pode ser rastreada, sendo permitido a localização do emissor, facilitando a sua punição. Assim, é bom usar de forma adequada e não para cometimento de ilícitos.

Já o Facebook,  exige mais criatividade, conteúdo autêntico, visualmente criativo, estratégia e o domínio da linguagem, diferente do Whatsapp, o desafio no Facebook é possuir conteúdo com relevância, é preciso manter a ‘cara’ de rede social, trazendo um pouco de intimidade da pessoa, com variedade, formato e expor positivamente a imagem. A ferramenta está disponível, basta saber usar da forma correta e se juntar ao clamor das massas. Vale lembrar, nada de ataques em redes sociais, o foco é as propostas.

Na internet, falar de política não é um assunto fácil, não contar com bons profissionais entre seus aliados é um grave erro. Acabou a era em que sobrinhos davam uma ajudinha na divulgação e tudo estava resolvido, é preciso se atentar nas características e peculiaridades de cada rede social, pois o que se usa no Twitter, por exemplo, não será sucesso no Facebook e vice-versa. Fazer marketing digital eleitoral, é muito mais que fazer postagens.

Atualmente, o que se vê é um desgaste da classe política em toda a sociedade. A hora é de avaliar, rede social ajuda sim, mas se não souber usar atrapalha e muito, brigar ou reagir impulsivamente desgastam imagens e retiram pontos do candidato, o cuidado não é só com os concorrentes, mas sim com o próprio eleitor que está atento.

Dicas aos “sobrinhos”
A própria equipe do Facebook criou uma página em sua plataforma para disseminar boas práticas por políticos, governos e figuras públicas do mundo: veja aqui.

*Relevância
Faz com que o seu conteúdo entre no EdgeRank, a ferramenta utilizada pela rede social para determinar se a postagem aparecerá ou não no feed de notícias dos fãs.

Agora ou o candidato entra em campo para ganhar ou a própria internet o engole.

Iraldo Ebertz

Carlos capeletti