Gigantes chinesas do agronegócio, como a Hunan Dakang, planejam expandir a atuação no Brasil, mais precisamente em Lucas do Rio Verde. A possibilidade de ampliação de negócios em Mato Grosso, especialmente, foi um pontos ouvidos pelo ministro da Agricultura, Blairo Maggi, durante a sua passagem pela Ásia. Para o ministro, que nos últimos quinze dias, visitou cinco cidades chinesas, além de Seul, na Coreia do Sul, caminhos estão sendo abertos “para um série de oportunidades para o Brasil”.

A informação de que a Hunan Dakang está de olho em expandir a sua participação em uma empresa localizada em Lucas do Rio Verde e que pretende comprar outras na região é da coluna Radar On-Line da Veja.

A coluna da Veja destaca que, além das chinesas, empresas japonesas possuem atuação forte em Mato Grosso e cita a Sogitso como exemplo. Tal empresa japonesa, conforme a coluna, possui associação com a companhia Cantagalo, de Josué Alencar, filho do ex-vice-presidente José Alencar.

Ainda de acordo com o Radar On-line, a Cofco Agri, controlada pela estatal de alimentos da China, também está com intenções de ampliar sua participação no Brasil.

O ministro Blairo Maggi e uma comitiva formada por representantes do Ministério da Agricultura e empresários teve início no final de agosto e deve estender-se até 25 de setembro. No roteiro da visita pela Ásia estão Seul (Coreia do Sul), Hong Kong e Chongqing (China), Bangkok (Tailândia), Yangon (Myanmar), Hanói (Vietnã), Kuala Lumpur (Malásia) e Nova Déli (Índia).

Em cerca de quinze dias, o ministro percorreu cinco cidades chinesas e Seul na Coreia do Sul. Em suas redes sociais, Blairo Maggi classificou a etapa de visitas na China e Coreia do Sul como “positiva”. Ele pontua ainda que “Estamos abrindo caminho para a uma série de oportunidades para o Brasil, como a atração de investimentos em produção na agroindústria e nas áreas de infraestrutura e logística. Foi uma experiência incrível, o povo daqui é determinado e consegue fazer as mudanças com rapidez”.

Como o Agro Olhar comentou recentemente, Maggi propôs para a China a criação de um grupo formado por diplomatas do consulado brasileiro e técnicos dos dois países com o intuito de “facilitar” o comércio de produtos do Brasil para o país asiático e vice-versa. O acordo foi proposto durante reunião com o chefe de governo da província de Cantão, Ji Jiaqi.