combustivelAgosto encerrou com o litro do etanol sendo encontrado por até R$ 2,97 em Mato Grosso. O derivado da cana-de-açúcar, cujo litro há pouco mais de um ano está acima dos R$ 2, registrou queda de 9,3% no consumo em 2016, até julho, no comparativo com o ano anterior. Em contrapartida, as vendas de gasolina cresceram 4,7%.

As informações são da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Segundo relatório, até julho 342 milhões de litros de etanol haviam sido comercializados em Mato Grosso. O volume é inferior aos 377 milhões de litros vendidos entre janeiro e julho do ano passado. Em contrapartida, o consumo de gasolina saltou de 334,7 milhões de litros para 350,4 milhões. Visto sua vantagem perante o etanol no momento do abastecimento.

Nos últimos três meses o litro do etanol ficou em média entre R$ 2,44 constatados em junho e R$ 2,48 em julho. A média de agosto foi R$ 2,47. De acordo com a ANP, o preço mínimo do derivado da cana em junho foi de R$ 2,19 e o máximo de R$ 3,05 no Estado. Já julho R$ 2,14 o mínimo e R$ 2,96 o máximo. O mês de agosto variou de R$ 2,17 (mínimo) a R$ 2,97 (máximo).

O litro pago pelos postos para a distribuidora em agosto chegou a R$ 2,23, entretanto na composição dos valores pagos pelos consumidores ainda estão encargos como funcionários, energia elétrica, impostos e demais manutenções do estabelecimento.

A gasolina, conforme a ANP, em junho variou de R$ 3,31 (mínima) a R$ 4,19 (máximo) e em julho de R$ 3,31 (mínima) a R$ 4,06 (máxima). Já em agosto de R$ 3,31 (mínima) a R$ 4,06 (máxima).

O motorista mato-grossense revela fazer cálculos na hora de abastecer. “Ao parar no posto faço os cálculos para ver qual combustível está mais vantajoso. Isso varia de acordo com a localidade do estabelecimento também, pois no centro de Cuiabá encontro etanol entre R$ 2,39 e R$ 2,49, por exemplo, e no Distrito Industrial a R$ 2,33. Então, é preciso fazer os cálculos para ver se o etanol é vantajoso perante a gasolina”, comenta o vendedor Ariquemes Noronha.