Agentes penitenciários ameaçam entrar em greve em Mato Grosso

54

agentes penitenciariosNovas paralisações e até mesmo greve estão previstas no Estado de Mato Grosso. Uma delas pode parar todo o sistema prisional e inclusive deixar cerca de 11 mil presos sem visitas.

Na próxima quinta-feira (15), os servidores do sistema prisional reúnem-se em assembleia geral e entre as pautas está avaliação do indicativo de greve por tempo determinado ou indeterminado.

Há dois meses os servidores encerraram uma greve que durou 33 dias. Na ocasião, ônibus foram incendiados em Cuiabá e agentes prisionais também foram alvo de ataques. A série de ataques seria uma represália ao movimento que paralisou as atividades em todas as unidades de Mato Grosso.

Outra paralisação que deve ocorrer no dia 20 de setembro será dos demais servidores estaduais. No dia está prevista uma paralisação geral das atividades em todos os setores.

Uma assembleia geral está marcada para discutir estratégias contra os projetos de lei e emenda constitucional que visariam a congelar o salário dos servidores por 20 anos, a reforma da previdência social, e a redução dos repasses federais.

Entre os principais alvos dos servidores está o projeto de lei complementar 257/2016 e a proposta de emenda constitucional 241/2016. Ambos tratam da renegociação de dívida dos estados e do Distrito Federal à custa de uma série de restrições ao funcionalismo público, como o congelamento salarial, fim do concurso público e limitação das despesas primárias da União aos gastos do ano anterior corrigidos pela inflação.

BANCÁRIOS – Iniciada no dia 06 de setembro, o destino da greve dos bancários será decidido hoje. Uma rodada de negociação foi marcada para as 14 horas, em São Paulo. Na última negociação, na sexta-feira (09), os bancários rejeitaram a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). (AA)