Pivetta tem 72 horas para explicar a juiz eleitoral nome na lista do TCU

Candidato foi intimado pelo juiz eleitoral da 21ª Zona Eleitoral de Lucas do Rio Verde

166

O candidato à reeleição Otaviano Pivetta (PSB) foi intimado pelo juiz eleitoral da 21ª Zona Eleitoral de Lucas do Rio Verde, Gleidson de Oliveira Barbosa, a explicar a inclusão de seu nome na lista de gestores com contas irregulares divulgada pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

O caso refere-se a uma licitação de 2001 realizada para aquisição de um ônibus consultório e equipamentos para atendimento odontológico na região rural do município e que custou aos cofres públicos o valor de R$ 115 mil. Embora o TCU reconheça que a licitação está correta, é apontando uma prática de sobrepreço de R$ 11 mil.

Conforme a assessoria jurídica do candidato explicou, o juiz concedeu 72 horas, sábado, dia 27, para a apresentação do primeiro esclarecimento e na segunda-feira (29) será entregue a defesa completa, contendo todos os documentos necessários para provar a inexistência de irregularidade no caso. Conforme a assessoria o próprio TCU já alegou que não houve dolo (intenção ou má-fé) no procedimento de aquisição dos equipamentos.

Porém, se houver descumprimento ou o juiz entender que há culpa, Pivetta pode se tornar inelegível e não concorrer ao pleito eleitoral em Lucas do Rio Verde. Entretanto segundo o calendário eleitoral os julgamentos de processos acontecem até o dia 12 de setembro e o candidato poderá recorrer.

Em contato com Pivetta via whatsapp, o candidato limitou-se a dizer a reportagem que, “não sei de nada, sei que nunca cometi nada ilegal e principalmente imoral”escreveu ele.

A lista do Tribunal de Contas da União (TCU) aponta 206 gestores de Mato Grosso entre as pessoas que tiveram contas consideradas irregulares em processos de fiscalização na aplicação de recursos públicos federais.

intimação OP