chuva cuiabaHá cinco anos a Grande Cuiabá não registrava chuva no mês de agosto, período em que anualmente a estiagem costuma ser intensa e com índices expressivos de queimadas.

De acordo com o 9º Distrito de Meteorologia (Disme), que fica em Várzea Grande, cidade vizinha a capital, a última vez que a região registrou precipitação, durante os 30 dias de agosto, foi em 2011, quando foram registrados 14,3 milímetros (mm) de chuva, na estação meteorológica instalada à margem do Rio Cuiabá.

Só nos últimos 29 dias deste mês, a quantidade de chuva registrada foi de 41mm, em Cuiabá, e outros 29,9mm, em Várzea Grande. Nos últimos dois dias, a precipitação foi de 19mm na capital. “Entre 2012 e 2015, não choveu durante o mês de agosto. Este mês está atípico por conta da associação alta temperatura e baixa umidade relativa do ar (URA)”, comentou Marina Padilha, do 9º Distrito.

Atípico ou não, o tempo ameno tem agradado a população por proporcionar um alívio ao clima seco. A baixa umidade relativa do ar associada a poluição provocada pelas queimadas favorece o aparecimento de doenças respiratórias, como os resfriados, gripes e as alergias.

“O calor já estava insuportável e o tempo muito seco. Precisava de uma chuva assim para melhorar. Acho que quando fica muito quente e fica muito tempo sem chover o risco de uma tempestade com ventos fortes é muito maior”, comentou a dona de casa Flávia Alessandra Pereira, 28 anos, que na manhã de ontem se abrigava em um ponto de ônibus para se proteger dos chuviscos.

O mesmo fazia o mecânico Pedro Nazaré, 58 anos. “A temperatura está agradável. O lado ruim é que a chuva vem junto com o vento e não tem guarda-chuva que aguente”, comentou.

A chuva de ontem deixou o trânsito lento nas principais avenidas da capital, como a Fernando Correa, Historiador Rubens de Mendonça (CPA) e Tenente Coronel Duarte (Prainha). E, com a pista molhada, os motoristas precisam redobrar a atenção e reduzir a velocidade.

Até esta quarta-feira, a previsão é de clima parcialmente nublado com pancadas de chuva e trovoadas a qualquer momento na capital, segundo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Nesta terça-feira, a temperatura deve cair e pode atingir a mínima de 15 graus. A máxima prevista é de 28 graus centígrados (ºC). Para a amanhã, a mínima esperada é de 20ºC e a máxima não deve ultrapassar os 36ºC.

Já a URA deve ficar em pelo menos 60%, índice considerado ideal para a vida humana segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Mas, a partir de quarta-feira a umidade já fica abaixo deste percentual, ou seja, em torno de 40%.