Leite produzido por baratas é um dos alimentos mais nutritivos do mundo

A descoberta surpreendente foi feita por um grupo de cientistas indianos e divulgada pela International Union of Crystallography.

157
barrata embriao
O embrião de barata e os cristais do leite poderoso

Esqueça o nojo e a cara feia para as baratas. As mamães da espécie baratas-besouro do Pacífico (Diploptera punctata) produzem um leite superpoderoso para seus filhotes, o mais nutritivo que se tem conhecimento em todo o mundo. O alimento é três vezes mais nutritivo que o leite de búfala, que antes ocupava esse recorde – à frente do leite de vaca e do leite materno.

A descoberta surpreendente foi feita por um grupo de cientistas indianos e divulgada pela International Union of Crystallography. O bioquímico no Instituto de Biologia de Células Estaminais e Medicina Regenerativa em Bangalore, na Índia, Subramanian Ramaswamy, explicou ao jornal “Washington Post” que a maioria das baratas põe ovos, mas as baratas-besouro do Pacífico produzem alimentos para seus embriões.

Os filhotes dessa espécie são gerados numa bolsa embrionária e se alimentam com uma substância líquida repleta de gorduras, açúcares e proteínas. Dentro do embrião o leite vira cristais que ajudam os insetos a crescerem numa velocidade incrível.

“É um alimento completo. No saco da ninhada, os embriões engolem o líquido. Lá, as proteínas viram cristais rígidos em suas entranhas. Nada é desperdiçado porque a boca está aberta e a parte traseira está fechada”, explicou o cientista. As baratas dão à luz os filhotes vivos – como os humanos.

As análises feitas pelos cientistas mostram que o leite de barata está entre as substâncias mais nutritivas e altamente calóricas do planeta. Os cristais de leite de barata contêm três vezes mais energia do que o leite de búfala, de acordo com a análise por Ramaswamy e seus colegas. Búfalos, segundo ele, eram os detentores do recorde da produção de uma proteína com mais calorias.

E se você está se questionando sobre o gosto, um cientista provou os cristais do leite, mas disse que não tinha nada de especial. O pesquisador acha que o alimento tem um potencial incrível para ser vendido como proteína, mas ele afirmou ao “Washington Post” que há alguns obstáculos, especialmente porque as baratas não podem ser ordenhadas.

Além disso, o produto associado a baratas seria ruim. “Eu não acho que alguém vai gostar se você lhes disser: ‘Nós extraímos cristais de uma barata e que viraram comida’”, disse Ramaswamy. Além disso, os cientistas ainda vão verificar se os cristais são tóxicos para os seres humanos.