Em depoimento, irmão de Bruno diz saber onde está ossada de Eliza

Informação foi confirmada nesta segunda-feira (4) pela Polícia Civil do Piauí. Rodrigo Fernandes está preso desde setembro 2015 por estupro.

115

Rodrigo Fernandes das Dores de Sousa, irmão do goleiro Bruno, afirmou durante depoimento à Polícia Civil do Piauí, em Teresina, que sabe onde estão os restos mortais de Eliza Samúdio, desaparecida desde junho de 2010. Ele apontou ainda suspeitos de terem participado do crime. A informação foi confirmada na tarde desta segunda-feira (4) pelo delegado geral Riedel Batista.

O irmão de Bruno cumpre pena no Presídio de Altos desde 2015 e responde por quatro processos, todos por estupro. Ele já havia sido preso em 2010, também por suspeita de abuso sexual e ameaça.

Rodrigo Fernandes teria ameaçado com uma arma e abusado jovem de 18 anos em Teresina (Foto: Gil Oliveira/G1)
Rodrigo Fernandes está preso desde 2015 por estupro (Foto: Gil Oliveira/G1)

O depoimento de Rodrigo foi coletado na semana passada, após solicitações da Polícia Civil do Rio de Janeiro. Além dele, outras três pessoas foram ouvidas. De acordo com o delegado geral da Polícia Civil do Piauí, as informações serão repassadas aos estados onde o crime está sendo investigado.

“Tudo o que foi relatado em depoimento por Rodrigo foi enviado para as Polícias Civis do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, onde o caso está sendo investigado. O que foi dito necessita ser apurado com bastante cuidado e o que estava a cargo da Polícia Civil do Piauí foi encerrado”, informou o delegado geral Riedel Batista.

A Secretaria de Segurança do Estado do Piauí também confirmou a coleta do depoimento do irmão do goleiro. De acordo com o secretário Fábio Abreu, Rodrigo e outras testemunhas foram ouvidas na semana passada pela Polícia Interestadual do Piauí (Polinter). Para o gestor, as informações devem ser analisadas com bastante rigor.

“Caberá à Polícia Civil do Rio de Janeiro averiguar o depoimento, pois o irmão de Bruno já tem um histórico de inverdades e uma conduta suspeita”, pontuou o secretário de segurança Fábio Abreu.

Caso Eliza Samúdio
Eliza desapareceu em 2010 e seu corpo nunca foi encontrado. Ela tinha 25 anos e era mãe do filho recém-nascido do goleiro Bruno, de quem foi amante. Na época, o jogador era titular do Flamengo e não reconhecia a paternidade.

Em março de 2013, Bruno foi considerado culpado pelo homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado da jovem. Ele foi sentenciado a 22 anos e três meses de prisão pela morte e ocultação do cadáver de Eliza, além do sequestro do filho da jovem.

A ex-mulher do atleta, Dayanne Rodrigues, foi julgada na mesma ocasião, mas foi inocentada pelo conselho de sentença. Macarrão e Fernanda Gomes de Castro, ex-namorada do atleta, já haviam sido condenados em novembro de 2012.

O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos foi condenado a 22 anos de prisão. O último júri do caso foi realizado em agosto de 2013 e condenou Elenilson da Silva e Wemerson Marques, o Coxinha, por sequestro e cárcere privado do filho de Eliza Samudio com Bruno. Elenilson foi condenado a 3 anos em regime aberto e Wemerson a dois anos e meio também em regime aberto.