Brasil importa feijão da Argentina, Paraguai e Bolívia para reduzir custos

369
Ministro Blairo Maggi garante que acompanha o assunto para baixar preços
Ministro Blairo Maggi garante que acompanha o assunto para baixar preços

O ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP) anunciou que o governo federal vai intensificar a importação de feijão para que se possa reduzir o preço do alimento, que é um dos mais consumidos pelos brasileiros.

Maggi explica que os altos preços se explicam pelos problemas climáticos que prejudicaram bastante a produção, especialmente na região Centro-Oeste.

“Mas, o governo já tomou as providências de fazer a liberação e criar todas as condições para importar feijão da Argentina, do Paraguai e da Bolívia que são países que produzem aqui do nosso lado”, salienta.

Outra possibilidade, segundo ele, é trazer o produto do México e da China. “Não falta feijão no mercado, ficou apertado por causa da oferta e demanda e o preço subiu, mas estamos trabalhando”, frisa.

Nessa linha, ressalta que tem conduzido negociações com os cerealistas e supermercados para que eles possam fugir das negociações tradicionais e buscar o produto diretamente na fonte. Ressalta que, na medida em que vai chegando no Brasil, o preço vai cair.

De acordo com o IBGE, o preço do feijão subiu 33,49% no ano até maio. Nos últimos 12 meses até maio, a alta é de 41,62%. Já a GfK, uma das maiores empresas de pesquisa no mundo, o feijão foi o item que mais subiu de preço desde o início do ano. Entre janeiro e maio de 2016, a alta foi de 28,1% na média nacional, bem acima do IPCA que já acumula 4,05%. A GFK monitora os preços de 35 categorias de produtos nos supermercados de todo o Brasil.