Advogado é assassinado a tiros ao chegar em fazenda em Mato Grosso

PM diz que vítima advogava para trabalhadores ligados à reforma agrária.Advogado, de 48 anos, foi morto a tiros ao abrir porteira da fazenda.

468

advogado assassinadoUm advogado, de 48 anos, foi assassinado a tiros nesta segunda-feira (27) ao chegar em uma fazenda na região de Alta Floresta, a 800 km de Cuiabá. De acordo com informações da Polícia Militar, Rubens Moreno Rúbio Júnior chegava de carro em uma propriedade rural de familiares junto com o sobrinho. O advogado desceu do veículo, foi abrir a porteira e acabou sendo atingido por disparos. Os criminosos estariam escondidos no matagal e fugiram.

Segundo a PM, o homicídio ocorreu às margens da MT-208, por volta de 21h [horário de Mato Grosso]. Rubens estava com o sobrinho, que dirigia o veículo, e uma terceira pessoa no carro. A situação foi nas proximidades da Comunidade Novo Horizonte, a 15 km de Alta Floresta.

“O sobrinho disse que ele [o advogado] foi abrir a porteira e em seguida ouviu três disparos. De forma desesperada esse sobrinho engatou a ré no carro e foi até o quartel da PM pedir ajuda. Possivelmente os suspeitos estavam aguardando [a chegada] escondidos no mato. Ele morreu no local, foram mais de 20 disparos”, informou o tenente da PM, Paulo Melo.

Rubens já estava morto quando o sobrinho retornou ao local com os policiais militares. Conforme a PM, a vítima era conhecida por advogar para trabalhadores sem-terra ligados à reforma agrária na região.

Ainda conforme a PM, o local não teria câmeras de segurança. O sobrinho da vítima não conseguiu ver se havia algum carro próximo ao ponto onde o advogado foi morto. Policiais militares e civis procuram os suspeitos nesta terça-feira (28), porém, até a publicação desta reportagem nenhum criminoso foi preso.

OAB
O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso (OAB-MT), Leonardo de Campos, acompanha a investigação e disse que entrou em contato com a Secretaria de Estado e Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp-MT).

“Sabemos que existem forças policiais mobilizadas na região para tentar achar os criminosos. Mas não temos conhecimentos se ele atuava em Mato Grosso, ele tem registro da OAB em São Paulo”, disse.