imagesO laudo do médico legista aponta para a possibilidade da mulher ainda estar viva quando fogo foi ateado em seu corpo. A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) também constatou no local, no dia do crime, que a mão da vítima estava amputada. No entanto, não há informações sobre qual tipo de objeto utilizado para tal ato. Nas proximidades do corpo, os peritos criminais encontraram uma garrafa de bebida quebrada e sangue, mas não encontraram nenhuma faca.

“Estamos com imagens de uma câmera de segurança de uma empresa, que fica nas proximidades. O crime ocorreu por volta das 4h53 [do último sábado]. As imagens mostram apenas um ‘clarão’. Isso pode indicar que o criminoso utilizou uma espécie de “acelerante” ao atear o fogo na mulher. Eu recolhi um pedaço de tecido, que estava próximo ao corpo, para ser analisado e sabermos se existe presença de algum tipo de combustível. Esse resultado demora um pouco, pois pedirei que seja feito em Cuiabá”, explicou, ao Só Notícias, a perita criminal Naiane Lanzieri, ao afirmar que tem dez dias para finalizar o seu laudo.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) ainda não começou as investigações para identificar e localizar o principal suspeito de praticar o crime. O corpo continua no Instituto Médico Legal (IML) e ainda não foi identificado. As investigações devem atrasar ainda mais por conta da greve da Polícia Civil, Politec e outros servidores estaduais. O delegado responsável pelo caso, Carlos Eduardo Muniz, ainda não requisitou o laudo pericial do crime.

Conforme Só Notícias já informou, o corpo da mulher foi encontrado, no início da manhã, nas proximidades de uma árvore, na praça da Bíblia, no centro da cidade. Ao lado da vítima estava montada uma rede, também havia um prato e outros objetos. De acordo com uma fonte policial, além da queimadura, também foi possível identificar algumas lesões aparentes.

A polícia suspeita que a mesma seja uma andarilha.