Servidores do Estado anunciam greve geral a partir do dia 31

480
Nesta terça os servidores fazem paralisação e protestam na sede do governo.
Nesta terça os servidores fazem paralisação e protestam na sede do governo.

Cerca de 600 das mais diversas Secretaria de Estado protestaram hoje. Na área da Segurança Pública, somente os Polícias Militares já avisaram que são estatutariamente impedidos de fazerem greve, mas farão “operação tartaruga”.

Mais de 10 categorias de servidores do Executivo já definiram que vão mesmo entrar em greve, na próxima terça-feira, 31 de maio, se o governador Pedro Taques (PSDB) não mudar de ideia e conceder aos servidores estaduais o reajuste de 11,28%, que é a Revisão Geral Anual (RGA).

Na área da Segurança Pública, somente os Polícias Militares já avisaram que são estatutariamente impedidos de fazerem greve, mas farão “operação tartaruga”. Os delegados, policiais civis e agentes prisionais vão parar.

Nesta segunda-feira (23), os professores decidiram pela greve. Eles formam uma das maiores categorias do Estado e estão na base da pirâmide salarial, recebendo as piores remunerações, menos de R$ 3 mil. No topo, encontram-se procuradores do Estado, coronéis da Polícia Militar, auditores fiscais e gestores públicos, cujos salários vão de R$ 25 a R$ 30 mil.

Ainda no campo da Educação, os professores  e demais funcionários da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), com unidades no interior de Mato Grosso, não querem esperar além do dia 31 para garantirem a RGA.

Outra categoria grande que já definiu pela greve é a dos servidores da área de saúde.

Também vão parar por tempo indeterminado a partir do dia 31 os servidores de área meio, administrativos e técnicos, que estão em todas as Secretarias de Estado. Eles realizam serviços comuns entre elas.

Na área da Segurança Pública, somente os Polícias Militares já avisaram que são estatutariamente impedidos de fazerem greve, mas farão “operação tartaruga”. Os delegados, policiais civis e agentes prisionais vão parar.

Também definiram pela greve os analistas reguladores, que são fiscais de serviços públicos como de saneamento, rodovias, transporte intermunicipal, energia elétrica e telecomunicações.

Essas categorias estão ligadas ao Fórum Sindical, que articula 30 carreiras.

Durante as manifestações deste terça-feira (24), o Fórum irá realizar uma assembleia, legalizando e fortalecendo o processo de greve das demais categorias.

Das categorias que estão fora do Fórum Sindical,  os servidores do Detran também já decidiram pela greve, também dia 31.

O governador Pedro Taques ainda não fez nenhum pronunciamento que mude este cenário, já que insiste que o Estado não tem dinheiro para honrar a Revisão Geral Anual.

As informações foram repassadas ao #reportertmt pelo sindicalista James Rachid, representante do Fórum Sindical.