Tapurah: Pescuma, Henrique e Claudinho farão show aberto ao público durante Festa do Leitão no Rolete

600

o trio Pescuma, Henrique e ClaudinhNeste domingo, 1º de maio, o trio Pescuma, Henrique e Claudinho se apresentam pela primeira vez em Tapurah. O show acontecerá a partir das 13h30, no CTG Carreteando Saudades, durante a 3ª Festa do Leitão Rolete. Será aberto ao público, totalmente gratuito para a população da cidade, também como festividade ao Dia do Trabalhador e Dia Estadual do Suinocultor, comemorados nessa data.

É Bem Mato Grosso

Com mais de 20 anos de carreira, o trio Pescuma, Henrique e Claudinho é hoje o maior representante do rasqueado cuiabano, tanto em Mato Grosso, quanto nacionalmente. Foram apadrinhados por Inezita Barroso como os embaixadores da cultura mato-grossense, considerando o trio o maior divulgador da cultura do nosso Estado.
Eles já têm 21 CDs e 2 DVDs gravados, com várias parcerias nacionais, tendo realizado show pelo Brasil inteiro ao lado de grandes estrelas da música nacional, como Zezé di Camargo e Luciano, Guilherme e Santiago, Zico e Zeca, Chico Rei e Paraná e Ataíde Alexandre.

Pescuma, é o mais falante. Formado em jornalismo, chegou em Cuiabá em 1984 e se apaixonou pelo rasqueado. “Conheci o rasqueado em São Gonçalo Beira-rio e montei com o Bolinha o trio Pescuma, Bolinha e Ventrecha de Pacu”. Ele também teve uma parceria com Moisés Martins chamada Sentimento Cuiabano que rendeu três CDs e três vídeos documentários.

Henrique veio de Itiquira. Com 32 anos de Cuiabá, Henrique parou no quarto ano de engenharia para se dedicar à música. Seu primeiro grupo foi Regueng. O encontro com Claudinho ocorreu em 1988 com a inauguração da Panacéia.

Claudinho rodou um pouco mais. Vindo da capital paulista, tem 32 anos de Cuiabá também. “Quando vim para Cuiabá foi para ganhar o mesmo que ganhava um desembargador. Existia uma concorrência muito grande entre as casas noturnas para ter os melhores músicos e o dono do Sayonara foi buscar a gente lá em SP”, conta Claudinho, que era roqueiro da banda New Time. Ele tocou até 1980 aqui e depois tocou cinco anos com Sérgio Reis, para, então, voltar a Cuiabá, onde tocou com a Papillon até encontrar Henrique, na casa do Balu, a Panacéia. Do encontro nasceram seis discos.

“Quem uniu os três foi o Zezé de Camargo e Luciano”, diz Henrique. Pescuma prossegue: “nós estávamos na mesma gravadora, porém separados, e a Arleide Caldas, assessora de imprensa do Zezé, nos convidou pra conhecermos eles, na pousada Mutum. Foi amor a primeira vista e de lá nós gravamos para o Gugu Liberato uma participação no Domingo Legal. Daí em diante, apadrinhado por eles, temos tocado em todo o Brasil”.
Pescuma relata ainda que tiveram uma música gravada para a trilha sonora do filme Dois Filhos De Francisco (“Tá faltando alguém aqui”).

Fonte: ASCOM