Polícia abre inquérito para apurar acidente que causou morte de professores; delegado cita reclamações sobre trecho

206

professores morrem em br364 (2)O acidente que vitimou os professores João Dias, de 57 anos, Iraci Romagnolli, 53, e genro do casal, Thiago Dias, 30, será investigado pela Polícia Civil do município de Jaciara (142 km de Cuiabá). O culpado poderá responder pelo crime de homicídio culposo, quando não há intenção de matar. A colisão envolveu o veículo EcoSport no qual eles estavam, um IX35 e uma carreta, e aconteceu na terça-feira, 9, quando a família voltava de uma visita à cidade de Dracena, em São Paulo, pelo trecho km 305 da BR 364 .

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a perícia realizada no local aponta para uma ultrapassagem mal sucedida do IX35, entretanto, só a Justiça poderá apontar o responsável pelo acidente. “Nosso papel nesses casos é servir como os olhos da Justiça. Fizemos o atendimento, o levantamento de dados e as medições necessárias, mas não responsabilizamos ninguém, este trabalho pertence à Justiça”, explica o policial rodoviário Flávio Gardin.

O delegado responsável pelo caso, Marcelo Melo Laete, explica que a averiguação tem um prazo legal de 30 dias para ser finalizada, e que o laudo pericial irá determinar as causas do acidente deverá estar pronto em 10 dias. “Consideramos como homicídio culposo porque não acredito que alguém cause um acidente com intenção de matar, mas ainda assim o responsável precisa responder pela imprudência do ato.” De acordo com ele, os outros envolvidos no acidente ainda serão convocados a depor.

O mau estado da pista, esburacada, pode ter influenciado na colisão, entretanto, o delegado afirma que a relevância deste fator no acidente só poderá ser constatada após o laudo pericial. “O resultado da perícia é fundamental para o andamento da investigação. Não posso afirmar que a qualidade da pista tenha causado ou influenciado no que aconteceu, mas os acidentes na localidade são constantes e a população tem reclamado bastante.”

O trecho pertence agora à concessionária Rota do Oeste e passará por obras de restauração, mas é de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit). Em nota, a Rota do Oeste alega que Mesmo antes da formalização já atuava no segmento com os trabalhos de recuperação emergencial com quatro equipes diariamente no local. O início destes trabalhos ocorreu em outubro de 2015, após a ANTT solicitar que a empresa assumisse a conservação do trecho.

Em parceria com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) a empresa assina na segunda-feira, 15, um Termo Aditivo ao contrato de concessão da BR-163 / BR-364 para transferência dos trabalhos de conservação de um trecho de 174 quilômetros entre os municípios de Rondonópolis e Cuiabá, com exceção da Serra da São Vicente, por um período de nove meses.

Fonte: Olhar Direto