Oscar 2016 marcou momentos inesquecíveis com consagrações importantíssimas.

A consagração de DiCaprio   

Leonardo DiCaprio finalmenteoscar-759 vence o Oscar de melhor ator, pela interpretação no filme O Regresso.

A consagração veio na sexta indicação de DiCaprio (incluindo uma como produtor de O Lobo de Wall Street). Ao subir ao palco, o ator foi aplaudido de pé por parte da plateia e, em um longo discurso, agradeceu, em retrospecto, muitas pessoas que contribuíram para a carreira dele desde o início.

Spotlight supera fortes candidatos e é o melhor filme 

O prêmio de melhor filme ficou com Spotlight: segredos revelados. O filme narra com detalhes uma investigação jornalística do jornal Boston Globe, que revelou os abusos sexuais a menores por padres da Igreja Católica

Em número de prêmios, Mad Max: Estrada da Fúria foi o grande vencedor do Oscar 2016, com seis categorias, incluindo montagem, figurino, maquiagem e cabelo e design de produção.

Outros atores ganharam na primeira indicação

Outros atores premiados ganharam a estatueta já na primeira indicação. Brie Larson venceu como melhor atriz pela atuação em O Quarto de Jack. A sueca Alicia Vikander foi a melhor atriz coadjuvante por A Garota Dinamarquesa.

Já Mark Rylance surpreendeu o favorito Sylvester Stallone e levou como melhor ator coadjuvante por Pote dos Espiões.

Iñarritu faz história 

Alejandro G. Iñarritu venceu o Oscar de direção pelo segundo ano consecutivo, desta vez por O Regresso. O mexicano, que no ano passado levou a categoria por Birdman, é o terceiro diretor a conseguir a façanha na história da premiação, ao lado de John Ford (por Vinhas da Ira, de 1941, e Como Era Verde Meu Vale, de 1942) e Joseph L. Mankiewicz (com Quem É o Infiel?, de 1950, e A Malvada, de 1951).

Também foi a terceira vitória seguida de um cineasta mexicano (Alfonso Cuarón venceu em 2014 por Gravidade).

O que a gente quer é oportunidade, diz Chris Rock 

Em meio a uma campanha pela diversidade no Oscar, o apresentador e comediante Chris Rock fez um monólogo de abertura em que atacou e ironizou, ao mesmo tempo, a falta de indicações de atores negros nas principais categorias desta edição.

Ele defendeu, especialmente, oportunidades semelhantes para atores negros e brancos. ‘O Leo DiCaprio tem um bom papel todo ano. E o Jamie Foxx?’, disse.

Não deu para o Brasil 

O filme brasileiro O Menino e o Mundo, indicado ao Oscar de melhor animação, perdeu o prêmio para Divertida Mente, o favorito na categoria.

Produzido com apenas US$ 2 milhões, a animação de Alê Abreu era o azarão frente a obra da Pixar, que custou mais de US$ 170 milhões. No tapete vermelho, o brasileiro disse que só de estar ali já era uma grande vitória.

Fonte: Thomaz Molina Do UOL, em São Paulo