Delegacia Virtual recebeu mais de 42 mil comunicações em 2015

5

Pelo ambiente virtual foram comunicadas 42.817 ocorrências, sendo 38.335 validadas. Deste total, 34.498 eram extravios ou perda de documentos, o que representa 84% dos boletins confeccionados pela Delegacia Virtual.

Delegacia VirtualO extravio de documentos foi a ocorrência mais registrada no site da Delegacia Virtual e também na Central de Ocorrências, da Avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha), em Cuiabá, no ano de 2015. Pelo ambiente virtual foram comunicadas 42.817 ocorrências, sendo 38.335 validadas. Deste total, 34.498 eram extravios ou perda de documentos, o que representa 84% dos boletins confeccionados pela Delegacia Virtual. A unidade também registrou 5.898 furtos, com 3.582 confirmados, 36 desaparecidos e 220 denúncias.

No ano de 2014, em razão da Copa do Mundo, a Delegacia Virtual foi procurada para a comunicação de 44.599 ocorrências e convalidou 40.162, sendo 36.156 extravios de documentos e 3.695 furtos.

O registro de extravio de documentos é considerado assistencial, já que não demanda investigação. Entretanto, o cidadão precisa comunicar que perdeu algum tipo de documento para retirada da segunda via, principalmente carteira de identidade (RG). O registro também é importante para se precaver no caso de ter os dados utilizados por criminosos para a prática de crimes como estelionato, falsidade ideológica e uso de documento falso.

“O registro do extravio é justamente para se evitar transtorno maior. Esse documento em mãos erradas pode ser usado para abrir uma empresa, fazer compras a crédito no mercado, entre outros. O registro é uma segurança para que a pessoa não venha a responder criminalmente e até em ação civil”, explicou o delegado Roberto Pereira Amorim, coordenador da Central de Registros de Ocorrências da PJC.

Conforme o delegado, no período do Carnaval os registros de pequenos delitos aumentam em razão do fluxo de pessoas sujeitas a ações dos chamados “batedores de carteiras”, que buscam também por celulares e joias nos locais de festa. “O principal é orientar as pessoas que nesses dias de carnaval não precisam levar todos os documentos e cartões. Leva somente a CNH que serve como documento de identidade. Evite usar o celular nessas aglomerações, pois tem os batedores e até mesmo pode perder”, pontuou.

Pela Delegacia Virtual, o cidadão não precisa sair de casa ou enfrentar filas em uma delegacia de polícia, basta acessar o portal da Segurança Pública. Pelo site, além do extravio ou perda de documentos, o cidadão também realiza o registro de furtos simples, denúncias e desaparecimentos de pessoas. Nos próximos dias, uma nova versão da Delegacia Virtual será disponibilizada ao cidadão, que terá um rol maior de serviços oferecidos pela internet como: furto de celular, exercício ilegal da profissão, calúnia, difamação, ameaça, constrangimento ilegal e outros.

Registros não validados

Os registros não convalidados são aqueles que apresentam dados incorretos ou inconsistentes na hora do preenchimento dos formulários, e ainda comunicações de delitos que não estão no rol da Delegacia Virtual, devendo o cidadão procurar uma delegacia física por haver necessidade de perícias ou exames de corpo delito.

O ambiente da Delegacia Virtual registra boletins de ocorrência em três idiomas – português, inglês e espanhol – e traz explicações do que é considerado “extravio”, “furto” e “roubo” para que o registro seja confeccionado na modalidade correta.

Após o registro, o boletim passa por conferência e checagem de informações, que vai garantir se ocorrência registrada está de acordo com os serviços processados pela unidade virtual e a veracidade de dados prestados pelo usuário. O trabalho de verificação é realizado por 11 servidores, divididos em 4 equipes de 2 a 3 pessoas que, depois de checadas as informações, encaminham  o boletim validado ao e-mail do comunicante, em até 15 minutos.

Central de Ocorrências

A Central de Ocorrências da Prainha é a principal base fixa de registro de boletins de ocorrências da Polícia Judiciária Civil. A unidade oferece estrutura física e de servidores para o atendimento de cerca de 5 mil pessoas por mês.

Em 2015, foram registradas na unidade 57.591 ocorrências, sendo o carro-chefe da procura o extravio de documentos com 19.234 registros; seguido de furto 7.140; preservação de direito 7.110 – ocorrência considerada atípica que não gera procedimento de investigação; roubo com 6.597; ameaça com 4.282; danos materiais e danos por acidentes de trânsito, lesão corporal, estelionato e outras ocorrências de naturezas diversas.

Fonte: MT Agora – PJC-MT